Sangue de Dragão: Para que serve, Benefícios, Como Usar.

A seiva retirada da árvore dragoeiro é conhecida como Sangue de Dragão, por sua cor e textura serem bastante semelhantes ao sangue. 

O Dragoeiro é uma árvore robusta e fácil de se reconhecer, com sua copa arredondada em forma de guarda-chuva. Essa arvore é encontrada na África, Ilhas Madeira, Canárias e Açores, e na América do Sul, na Amazônia, Peru e Equador.

Muito utilizada como planta ornamental em jardins, o dragoeiro produz uma seiva que em contato com o ar se torna avermelhada, lembrando sangue, e que possui diversas propriedades medicinais.

Para que serve Sangue de Dragão?

O Sangue de Dragão é conhecido por suas propriedades curativas e cicatrizantes, pelo seu incenso com efeito calmante na aromaterapia e como corante natural.

Existem mais de 40 espécies de dragoeiro e suas propriedades variam de local para local, sendo as variedades Daemonorops, Dracaena, Croton e Pterocarpus as que produzem seivas avermelhadas e com propriedades benéficas.

Muitas das seivas vendidas no comércio têm dois, três ou mesmo os quatro tipos combinadas, para garantir os benefícios de todas elas para o usuário.

De forma geral, o Sangue de Dragão é rico em flavonoides, fenóis, esteroides e terpenoides – substâncias produzidas pelos vegetais e que são essenciais para o alívio e combate de diversas condições de saúde, da TPM ao câncer.

Sangue de Dragão: Para que serve, Benefícios, Como Usar.

Benefícios

Segundo a medicina indígena e a medicina tradicional chinesa, um dos principais benefícios do Sangue de Dragão é na circulação sanguínea, melhorando situações de inflamações crônicas e acalmando locais que sofreram feridas.

A seiva pode ser utilizada de diversas formas em benefício do corpo humano, melhorando o organismo por fora e por dentro.

Cicatrização de feridas

Pesquisas demonstraram que o Sangue de Dragão pode auxiliar na cicatrização, fazendo com que a cura aconteça mais rápido.

Um estudo randomizado analisou os ferimentos de sessenta pacientes entre 14 e 65 anos de idade, concluindo que aqueles que utilizaram a seiva tiveram melhora significativa de suas feridas já no terceiro dia de uso.

Os pesquisadores acham que são os compostos fenóides e as catequinas os responsáveis pelos fantásticos resultados no processo de aceleração da cicatrização.

Antibacteriano

O Sangue de Dragão foi, e ainda é, muito utilizado para prevenir e diminuir o tempo de infecções.

Seja por seu uso tópico, em ferimentos, ou tomando a seiva diluída em água, a resina é bastante utilizada na China com o propósito de diminuir colônias de bactérias e minimizar infecções bacterianas no corpo.

Uma pesquisa americana demonstrou, porém, que o Sangue de Dragão pode ser tão poderoso na hora de evitar o crescimento bacteriano que poderia até mesmo ser utilizado como conservante natural de alimentos.

Os cientistas concluíram que a seiva apresentava bons resultados no controle de patógenos como as bactérias E.coli – maior responsável por gastroenterites – e a salmonela, uma das doenças alimentares mais graves e preocupantes.

Antidiarreico  

A diarreia é um sintoma em comum de diversos tipos de doenças, e pode chegar a ser fatal se não controlada, principalmente em idosos e crianças.

Muitas vezes, é difícil chegar a um diagnóstico do que está causando a diarreia, e é ainda mais complicado achar remédios efetivos contra ela, além da hidratação constante.

Pensando nisso, cientista estudaram a resina do Sangue de Dragão e descobriram um composto bastante eficaz: o SP-303.

Esse composto foi utilizado em norte-americanos que estavam sofrendo da chamada “Diarreia do Viajante”, uma condição que afeta pessoas que viajaram recentemente para países normalmente com culinária e saneamento muito diferentes de seus países de origem.

Os pacientes estudados foram monitorados diariamente, e cerca de 20% dos que utilizaram o Sangue de Dragão ficaram curados mais rápido que os que usaram placebo.

Remédio contra úlceras gástricas

A maioria das úlceras gástricas são causadas por uma bactéria chamada de H.pilory. Essa bactéria habita o estomago e intestino de 80% da população mundial e é responsável por diversos desconfortos e doenças do sistema digestivo.

Infelizmente, não se podem tratar todos os acometidos pela bactéria, pois isso induziria a resistência dos germes contra os antibióticos.

Inspirados pela medicina tradicional chinesa, porém, médicos começaram a utilizar o Sangue de Dragão como um remédio contra úlcera, e vêm tendo bons resultados.

Não só a seiva é capaz de cicatrizar as úlceras mais rápido, como impede que elas sangrem em excesso e ainda combate o H.pilory, podendo ser utilizada em doses muito mais altas que qualquer outro antibiótico, sendo uma esperança de alternativa futura para quem sofre de males digestivos.

Esperança contra o Alzheimer

A seiva de Sangue de Dragão possui a capacidade de inibir a ação da enzima AChE. Essa enzima é responsável por quebrar a acetilcolina, um neurotransmissor ligado à memória.

Dessa forma, se espera que a seiva possa ser utilizada em novos medicamentos contra doenças neurodegenerativas como o Alzheimer, e a indústria farmacêutica já está estudando seus compostos para a proteção de neurônios cerebrais.

Inclusive, já se sabe que o Sangue de Dragão previne AVC isquêmico e auxilia na recuperação cognitiva de quem já sofreu algum infarto cerebral.

Antifúngico

Doenças causadas por fungos são presentes principalmente em mulheres jovens.

A candidíase é uma das doenças mais prevalentes na população feminina e, mesmo que seu tratamento tenha se popularizado nos últimos anos, ainda exige doses diárias de cremes antifúngicos para funcionar, sendo que muitas mulheres precisam usar tais cremes todos os dias como forma de prevenção.

O Sangue de Dragão, além de combater a candidíase, ainda possui pH que não agride as partes íntimas femininas, mantendo as mulheres mais saudáveis com menos esforços.

Ele ainda previne a contaminação dobrada com bactérias provindas do reto, uma consequência comum da diminuição da flora natural do corpo e que leva à infecção urinária.

Antiviral

A indústria farmacêutica já descobriu que o Sangue de Dragão combate o vírus causador da herpes e da influenza, e está sendo estudada a possibilidade de ser utilizado também no combate a AIDS, pois é um dos compostos que atualmente pode ajudar a combater doenças iniciais nas populações soropositivas sem interferir com os outros remédios retrovirais.

Diminui a glicose no sangue

Populações diabéticas podem se beneficiar do uso de Sangue de Dragão mesmo que em quantidades moderadas. Isso porque a seiva, em contato com a mucosa do estômago, forma uma película fina que impede a absorção completa de carboidratos.

Quando digeridos, tais carboidratos se tornariam glicose, aumentando os níveis de açúcar e contribuindo para a piora da diabetes.

Como o Sangue de Dragão impede sua absorção, também ajuda aqueles que sofrem com a doença e tem dificuldade em controlar os níveis de açúcar na alimentação.

Combate a osteoporose

Substâncias presentes nas seivas dos quatro tipos de dragoeiros são capazes de estimular e suprir as células ósseas.

Dessa forma, é possível controlar casos de osteoporose e prevenir o aparecimento naqueles indivíduos que ainda não têm a doença, principalmente nas mulheres pós menopausa, que sofrem porque seus ossos não conseguem mais se regenerar de forma adequada.

Evita dores crônicas

Povos indígenas usam o Sangue de Dragão para diminuir as dores do parto em mulheres, fazendo com que o nascimento de seus filhos seja uma experiencia mais tranquila.

Pesquisadores do Canadá descobriram que, de fato, a seiva tem potencial inibidor de dores, principalmente das causadas por doenças crônicas.

Atualmente, está se utilizando o Sangue de Dragão para aliviar dores causadas pelo reumatismo, a herpes zoster, artrite, torções, fibromialgia e mesmo lúpus.

No caso da herpes zoster, por exemplo, a seiva também conseguiu diminuir a carga viral do organismo.

Melhora problemas de pele

Apesar das descobertas feitas pela indústria farmacêutica, são os cosméticos que ainda fazem a maior parte da fama do Sangue de Dragão.

Isso porque suas aplicabilidades na pele são inúmeras, e a seiva pode ser considerada uma verdadeira fonte da juventude.

Cremes à base da seiva consegue estimular o colágeno, diminuindo rugas e flacidez, previnem sinais de envelhecimento, diminuem estrias e cicatrizes – mesmo que antigas, protegem a pele contra radicais livres e mesmo contra raios UV.

Aumentam a elasticidade da pele na gravidez, clareiam manchas de sol, diminuem a coceira e a inflamação seja por motivos alérgicos (mosquitos, plantas) ou por agressões – como a depilação, e acalmam a pele após a esfoliação e limpezas profundas.

Higiene oral

Gargarejos ocasionais com seiva do Sangue de Dragão diluído em água são aliados na saúde da gengiva e dos dentes, combatendo mau hálito, infecções bucais e prevenindo cáries.

Como seus antioxidantes e anti-inflamatórios combatem vírus e bactérias, também pode ser utilizado para aliviar dores de garganta e dores após procedimentos dentários, como extração de dentes ou utilização de aparelhos.

Aromaterapia

A variedade indiana do dragoeiro produz um Sangue de Dragão mais resinoso que os outros, que se torna sólido quando deixado em contato com o ar.

Por ter um cheiro agradável, essa resina é bastante utilizada para a fabricação de incensos e na aromaterapia, com propriedades de limpar o ambiente, promover concentração, acalmar pessoas que sofrem de ansiedade e deixar o espaço mais acolhedor e aconchegante.

Contraindicações do Sangue de Dragão

O Sangue de Dragão pode gerar reações adversas em pessoas com peles muito sensíveis.

No caso de indivíduos que nunca utilizaram a seiva antes, é bom que a diluição seja em cremes já conhecidos previamente e que a aplicação seja cautelosa.

A ingestão parece, até o momento, ser bastante segura para adultos saudáveis. Quem quiser utilizar o Sangue de Dragão por motivos de doenças, deve informar os médicos do uso e monitorar as doses, para garantir que não haja interações com outros medicamentos – jamais se deve substituir medicamentos prescritos pela seiva Sangue de Dragão, principalmente no caso de antibióticos, remédios para a diabetes e doenças neurodegenerativas.

Mulheres grávidas podem fazer uso tópico da seiva junto com seus cremes e óleos regulares, mas devem procurar auxílio médico antes de ingerirem, pois não há estudos sobre os efeitos do Sangue de Dragão em fetos.

Como estimula a circulação, não é possível afirmar que não tenha efeito abortivo, por exemplo, e por isso jamais deve ser tomado por conta própria.

Como usar o sangue de dragão?

O Sangue de Dragão normalmente é encontrado em pequenos vidros, parecidos com os de óleos essenciais.

É importante notar o nome científico na embalagem, para saber quais seivas foram utilizadas na fabricação.

As verdadeiras seivas devem fazer parte das famílias Daemonorops, Dracaena, Croton e Pterocarpus, sendo a variedade Croton a mais comum no Brasil, por ser típica da Amazônia.

Normalmente se pode utilizar a seiva de duas formas: diluindo em água, para consumo oral como remédio ou diluindo em cremes e óleos, para utilização na pele.

Como tomar

Podem ser colocadas algumas gotas em um copo com água. Normalmente, três gotas são mais que suficientes para que uma pessoa obtenha todos os benefícios.

Deve se utilizar a resina de 14 até 30 dias, antes de se fazer uma pausa. O uso prolongado ou em excesso pode causar efeitos adversos, por isso é bom jamais iniciar na dose máxima e sim respeitar o ritmo natural do organismo e observar seus efeitos com cerca de 3 a 4 gotas da seiva.

Caso se tolere o gosto, é possível tomar as gotas puras. Também é possível achar tinturas já diluídas para o proposito de consumo interno. Nesse caso, a diluição não é necessária e se deve seguir as instruções do rótulo.

Diluição para uso externo

Quando o objetivo é utilizar na pele ou em feridas externas, pode-se fazer a diluição de diversas maneiras:

  • Colocar cerca de 10 gotas da seiva para cada 100ml de soro fisiológico e aplicar em ferimentos duas vezes por dia
  • Diluir 30 gotas para cada 100g de creme, preferencialmente neutro, para ser utilizado no caso de dores crônicas e inflamações
  • Colocar 3 gotas em cada 10g de creme facial ou para o corpo, para prevenir estrias e melhorar o aspecto de cicatrizes
  • Diluir de 3 até 10 gotas com outros óleos essenciais, como óleo de gengibre e eucalipto, para obter benefícios de aromaterapia.

Diabetes Controlada

PRECIOUS BOOSTER - CONTÉM 1G