Kefir: O que é. Para que serve. Quais os Benefícios?

Originado nas montanhas do Cáucaso, o Kefir é uma bebida fermentada a partir do leite, que pode ser de animais como ovelhas, vacas ou cabras.

Parecido com kombucha e o Iogurte, pesquisas indicam que ele é inclusive mais saudável e mais poderoso na hora de auxiliar a flora intestinal e prevenir doenças.

Para produzir o Kefir, são necessários os chamados “grânulos de kefir”, que são várias bactérias, leveduras e outros microrganismos juntos, formando grãos brancos e gelatinosos. Esses grãos são acrescentados ao leite normal e a partir dai vão se reproduzir e fermentar.

Quais os Benefícios do Kefir?

A bebida é rica em proteínas, minerais como potássio e cálcio, vitaminas do complexo B e probióticos. Seu sabor é normalmente leve e agradável, e pode ser acrescentado a outras comidas, como vitaminas e saladas de frutas.

Digestão

O benefício mais reconhecido do Kefir é sem dúvida auxiliar no trânsito intestinal. Nutricionistas explicam que ele ajuda a restabelecer a flora intestinal, que é grande responsável pela boa digestão.

Uma flora saudável regula as idas ao banheiro, permite que o corpo absorva mais nutrientes e pode ajudar no emagrecimento e combate ao inchaço.

Melhora geral do organismo

O uso frequente do Kefir pode auxiliar quem sofre com alergias alimentares, tais quais intolerância a lactose, além de diminuir a ocorrência de doenças inflamatórias, candidíase e ter efeito antibiótico contra diversas bactérias nocivas.

Ao ser utilizado todos os dias, já foi comprovado que a bebida irá atuar diminuindo o colesterol ruim, diminuindo a pressão arterial e auxiliando no controle da glicose, mesmo entre diabéticos.

Combate ao câncer

Em 2017, um artigo publicado na Revista de Medicina Oncológica da Springer, uma das melhores do mundo, comprovou os efeitos anticancerígenos do Kefir, que tem capacidade de ajudar a prevenir e combater cânceres como os de pele, mama e leucemia, devido a suas propriedades antioxidantes, antitumorais e aperfeiçoamento do sistema imune.

Apesar de ser um superalimento com inúmeros benefícios, o uso constante do Kefir e sua fabricação também exige cuidado. Em primeiro lugar, é importante entender que nem todo Kefir é igual.

A qualidade vai depender muito das bactérias utilizadas para formar os grânulos, além da higiene envolvida na preparação.

Kefir: o que é, quais os benefícios

Como fazer Kefir

Para fazer o Kefir, pode-se misturar uma colher de sopa dos grânulos em um copo de leite ou água. Em seguida, deixar a mistura parada, de preferência em um local quente, onde vai fermentar.

O tempo vai depender do clima, mas leva no mínimo seis horas, e não deve ser deixado mais que três dias. O topo do copo deve ser coberto com uma toalha, papel toalha ou mesmo plástico filme (este último com furinhos).

Depois de fermentado, o líquido deve ser coado. Os grânulos que sobrarem podem ser lavados e guardados para uma nova cultura – é normal que eles pareçam maiores e depois de guardados diminuam um pouco.

Para tornar o Kefir mais agradável, recomenda-se deixar na geladeira por um dia ou dois antes de consumir.

Onde achar

Apesar da versão comercial estar no futuro próximo dos mercados brasileiros, assim como acontece em países orientais e na Rússia, por aqui a alternativa mais comum ainda é conseguir os grânulos com amigos ou pela internet, e fazer a fermentação de forma caseira.

Atualmente, a indústria começou a reconhecer o interesse pelo Kefir e vários laboratórios vem trabalhando em desenvolver grânulos mais ricos em bactérias probióticas, capazes de aumentar os nutrientes da bebida.

Cuidados

É muito importante manter a higiene em todos as etapas do processo. Utilizar recipientes bem lavados, não deixar fermentando por mais de 72 horas, nem deixar o copo destampado.

Se o clima do lugar for muito quente, acima dos 25 graus, cuidar ainda mais com o tempo de fermentação – dá para saber que é hora de coar quando o leite ficar mais grosso, como um iogurte normal.

Dar sempre preferência por materiais de vidro ou plástico. Colheres de madeira e recipientes de metal nunca são indicados.

Os grânulos devem ser guardados na geladeira ou congelados. Lava-se entre as fermentações e se observa se apresentam manchas amarelas, verdes ou marrons. Se apresentarem essas manchas, significa que foram contaminados e não devem ser utilizados. Pode ficar uma gosma gelatinosa após a lavagem, que é normal e benéfica.

Para doar ou receber os grãos, é importante notar se estão em água limpa. Não é recomendado transportar em leite ou água com açúcar, pois é nessas condições que acontece a fermentação, que pode sair de controle se não for cuidada.

Também não se pode deixar os grãos muito tempo só na água, sem refrigeração, pois as bactérias perdem a capacidade de se reproduzirem.

Mesmo com todos os benefícios, é importante não exagerar. Em excesso, o Kefir pode levar ao desarranjo intestinal, causando cólicas e diarreia. Como é feito de bactérias, exagerar na dose pode levar a uma condição chamada bacteremia, que se não tratada pode acabar necessitando de internação.

Quem pode consumir

A priori, todos podem consumir o Kefir, mas é importante que pessoas com doenças sistêmicas, como diabetes, ou grávidas, consultem seus médicos e nutricionistas.

Quem não bebe leite por causa de intolerância ou preferências alimentares, pode fazer o Kefir a partir de leites vegetais, como o leite de Coco e de amêndoas , e os grânulos também conseguem fermentar em uma mistura de água e açúcar mascavo.

A lactose do leite comum é uma das principais substâncias a serem fermentadas pelas bactérias e leveduras do Kefir, o que torna a bebida tolerada pela grande maioria dos intolerantes a lactose.   

Como usar Kefir

O ideal é consumir a bebida gelada, cerca de 200ml por dia, e aproveitar a melhora no organismo, disposição e qualidade de vida.

Dia de Saúde - Dicas de saúde, emagrecimento, dietas, exercícios e qualidade de vida-footer