Chá de Amora: Benefícios, como fazer, contraindicações

A amora é uma fruta pequena, escura e bem conhecida dos brasileiros. Também conhecida como amora-selvagem, as amoras são ricas em antioxidantes e tem um sabor bastante agradável.

Um pouco menos utilizadas, porém, são suas folhas – que possuem tantas ou mais propriedades que o fruto em si.

O que é?

O chá de amora é a forma mais prática e conhecida de se utilizar as folhas de amora. Ele teve seu início na China, há mais de 3 mil anos atrás, e há relatos de seu uso pelos gregos e pelos exércitos romanos, que costumavam mascar as folhas para melhorar a força e resistência quando em batalha.  

Atualmente vem se tornando conhecido pelo sabor, muito superior ao de outros chás medicinais, e pelos diversos benefícios que parece oferecer.

O primeiro lugar a se interessar pelo seu estudo foi o Japão, cujo ministério da saúde aprovou sua utilização após a eficácia ter sido testada e comprovada.

Conforme estudos científicos com o chá de amora, qualquer variedade de amoreira pode ser utilizada com os mesmos benefícios, ainda que no Brasil se fale mais sobre o chá de amora-branca.

Propriedades

Existem diversos tipos de amoras, e as mais conhecidas e cultivadas na América do Sul são a amora-branca, amora-vermelha e amora-preta.

Independente da variedade, é nas folhas que estão concentradas a maior parte dos minerais, como magnésio, fósforo, potássio e cálcio.

Além disso, as folhas contêm praticamente a mesma quantidade de vitamina C, vitamina E e antioxidantes que os frutos.

Para que serve?

Conforme as medicinas tradicionais asiáticas, o chá de amora, ou chá de amora-branca, como é mais conhecido, pode ser um aliado importante na prevenção e tratamento de diversas doenças, tais como diabetes, câncer e inflamações.

Muitos consideram um superalimento, pela sua vasta lista de nutrientes que incluem taninos (responsáveis pelas propriedades benéficas do vinho), luteína e zeaxantina, antioxidantes que atuam no combate aos danos causados pelos radicais livres.

Ao redor do mundo, as folhas de amora vêm sendo usadas como um complemento médico em países como Japão, China e Alemanha.

cha-de-amora-beneficios-como-fazer-contraindicações

Benefícios do Chá de Amora

– Saúde feminina

A infusão das folhas da amora libera nutrientes capazes de estimular e equilibrar os hormônios femininos. Isso significa combate aos sintomas da TPM e menopausa, diminuindo desconfortos gerados pela variação hormonal tais quais: calorões, inchaços, ressecamento vaginal, dores de cabeça, desanimo, irritação e alterações do sono.

Por conter antioxidantes e promover a melhora da circulação, consumir o chá de amora durante o período menstrual também auxilia da redução das cólicas e da duração do sangramento.  

– Redução da glicose

Conforme o Jornal Americano de Medicina Chinesa, o ácido gálico contido nas folhas de amora, faz com que o chá desse fruto auxilie a reduzir os níveis de glicose no sangue.

Níveis de glicose altos são característicos da diabetes tipo 2, e podem ser de difícil controle mesmo com medicamentos.

Estudos de 2012 e 2017 mostraram que diabéticos que consumiram o chá de amora antes das refeições diminuíram os picos de glicose e conseguiram manter suas glicoses alvo com mais facilidade, evoluindo menor para o uso de insulina.

– Diminuição do colesterol

De forma simplificada, existem dois tipos de colesterol principais importantes para o bom funcionamento do organismo. Comumente, o colesterol HDL é conhecido como “bom colesterol” e o LDL como “colesterol ruim”. O ideal é que se mantenham os níveis de LDL o mais baixo possível, e os de HDL em torno de 40mg/dl ou mais.

Em 2013, biomédicos demonstraram que tanto o chá de amora quanto o pó das folhas de amora diminuem os níveis de LDL e triglicerídeos, principalmente por causa de componentes como isoquercitrina e astragalina, que também vão ser úteis na diminuição das placas de aterosclerose – placas de colesterol que se prendem ao vasos sanguíneos e podem gerar obstruções que levam ao infarto e AVC.

– Saúde Cardíaca

O infarto causado por placas de colesterol não é o único vilão a ser combatido com o uso regular do chá de folhas de amora. A insuficiência cardíaca também pode ser prevenida e retardada pelos flavonoides e taninos contidos na amora.

Esses são os mesmos componentes responsáveis pelos benefícios do vinho, sendo que a amora tem maiores concentrações que a uva pura, e seu chá é livre de álcool, superando o vinho.

Além disso, a amora é um importante hipotensor, isso é, diminui a pressão arterial e evita a hipertensão ou auxilia a manter seu controle mais rígido.

– Anti-inflamatórios

Inflamações não são apenas inconvenientes. O estado inflamatório leva o corpo a produzir mais radicais livres e mantém o organismo sob estresse, favorecendo outras doenças, dificultando o metabolismo e aumentando o inchaço.

As propriedades anti-inflamatórias do chá de amora estão entre os componentes responsáveis pelo seu uso para a cicatrização de feridas e melhora do sistema imune, combatendo doenças como úlceras, hemorroidas, reumatismo e outras doenças crônicas.

– Prevenção de gripes e resfriados

Anti-inflamatório, antioxidante e antibacteriano. Essas três características juntas tornam a infusão de folhas de amora mais eficiente que os antigripais presentes no mercado.

Como é uma planta, um remédio natural, o chá de amora também não vai piorar a condição do fígado e pode ser usado mais vezes que outros remédios sintéticos, de forma a proporcionar um alívio duradouro e impedir recaídas.

A dor de garganta também será diminuída e a rouquidão pode desaparecer rapidamente com o consumo do chá morno ou levemente quente.

Gargarejos com o chá impedem que bactérias passem da boca para a garganta, ou da garganta para o resto do corpo, acelerando a recuperação.

– Perda de peso

Não é unanimidade entre pesquisadores e adeptos, porém muitas pessoas relatam que o chá de amora ajudou no controle da balança.

Defende-se que a presença de uma enzima chamada 1-desoxinojirimicina vai inibir naturalmente a absorção de carboidratos, e se sabe que de fato o consumo da amora diminui a glicose circulante.

De forma geral, seu consumo vai diminuir a retenção de líquidos e promover sensação de saciedade e bem-estar geral, e há quem perca até 1,5Kg por semana com a melhora geral do organismo.

– Regulação do intestino

O chá de amora pode ser tão bom quanto qualquer iogurte (kefir, combucha) quando se trata da regulação intestinal. Essa é uma propriedade bem conhecida, já que tanto a fruta quanto a folha são ricas em fibras.

Na lista de benefícios, ainda entram o fato de ser vegano e poder ser consumido por intolerantes a lactose, sem contar a facilidade de se fazer o chá.

– Visão, pele e cabelos

Rico em vitamina A e em betacaroteno, o chá de amora elimina a fadiga ocular, prevenindo a vista cansada. Esses nutrientes também previnem a destruição da retina, impedem a formação da catarata e, pelo seu efeito anti-hipertensivo, previnem o glaucoma e a perda de visão.

Já na pele, imergir o rosto ou corpo em uma infusão das folhas da amora, por cerca de 30 min, auxilia o corpo a remover toxinas, limpa e purifica a pele, além de deixar mais macia a pele seca e diminuir manchas de sol ou da idade.

Nos cabelos, além de remover a oleosidade e a caspa, lavar com chá de amora pelo menos três vezes na semana auxilia a circulação do couro cabeludo, combatendo a queda e mesmo a calvície, promovendo um crescimento saudável.

– Higiene bucal

Não só o hábito de beber o chá de amora, mas também utilizar o líquido como enxaguante bucal e mesmo mascar as folhas podem ser considerados benéficos para a saúde.

As propriedades antibacterianas removem o excesso de colônias na boca, sem interferir com a microbiota positiva, que protege gengiva, língua e dentes. Isso torna os dentes mais saudáveis e o sorriso mais bonito, prevenindo aftas, inflamações e cáries, minimizando também o mau hálito.

Machucados na boca, seja nos lábios ou mesmo dores de dente são beneficiados pelas folhas da amora, que diminuem a percepção da dor e agilizam a cicatrização.

Muitos povos já utilizam esse benefício há vários séculos, e lavar a boca apenas uma vez ao dia com água do chá da amora já fornece benefícios para essa região.

– Alternativa ao leite

Pessoas que sofrem de osteoporose ou falta de vitamina D e cálcio são estimuladas a beber bastante leite. Isso nem sempre é possível devido a restrições ou preferências de dietas, e uma das alternativas pode ser o chá de amora.

Agradável, com sabor adocicado, ele também contém 22 vezes mais cálcio que um copo de leite integral e fortifica os ossos, diminuindo a necessidade de se recorrer a suplementos alimentares industriais.

– Reumatismo e artrite

Um dos usos mais preconizados tanto na literatura médica quanto na medicina tradicional asiática é o chá de amora para se combater dores provenientes de doenças como artrite, gota e artrose.

Esse chá protege as articulações, diminui as dores e a inflamação e auxilia na recuperação do controle físico. Em geral, o uso diário por duas semanas já é capaz de desacelerar as doenças reumáticas.

Contraindicações do Chá de Amora

Apesar de natural e saudável, o chá de amora tem algumas contraindicações pontuais, entre elas o cuidado de não consumir o chá antes de dirigir ou operar máquinas e trabalhos que exijam muita concentração, pois a amora tende a causar sonolência e é usado também para a insônia.

– Efeitos no fígado e rins

Apesar de auxiliar o corpo a se desintoxicar e melhorar a saúde geral, o chá de amora exige que fígado e rins funcionem acima do normal, de forma que pessoas com insuficiência hepática ou renal devem evitar ou procurar auxílio médico antes de ingerir o chá.

Os taninos, quando hidrolisados, também podem ter efeito tóxico. Eles viram um gel que pode obstruir o fígado quando em excesso, gerando náusea, vômitos e cor amarelada nos olhos e pele.

– Hipoglicemia

O excesso de glicose não é o único inimigo dos diabéticos. Quem faz tratamento para diabetes, utiliza medicamentos que tentam retirar o açúcar da circulação sanguínea.

Esses remédios combinados com o chá de amora, podem acabar diminuindo demais a glicose no sangue, levando a pessoa ao quadro de hipoglicemia.

A hipoglicemia pode ter sintomas como tontura, mal-estar e dificuldade de concentração, mas pode também ser silenciosa e fatal. Por isso, diabéticos – principalmente em uso de insulina – devem consumir poucas quantidades do chá e sempre com permissão médica.

– Alergias

Em 1960, foi descoberto no Paquistão que as amoreiras liberam muito mais pólen no ambiente que outras árvores frutíferas.

Pessoas predispostas a asma, rinite e outras reações alérgicas devem ter cuidado ao ingerir amora e seus derivados. Inchaços e dificuldades de respirar devem ser encaminhadas para a emergência.

– Interferência na absorção de nutrientes

Como o chá é rico em cálcio, consumi-lo junto as refeições pode impedir a absorção de ferro. Algumas opções são consumi-lo em horários distantes das principais refeições do dia e acrescentar limão ao chá, o que pode tornar o gosto mais interessante e melhorar a digestão de nutrientes.

– Irritação gástrica

Apesar de ser um remédio milenar para dores de estomago, úlceras e diarreias, o chá de amora em excesso acelera demais a digestão e pode irritar o estomago, causando efeito rebote e maior ocorrência de azia, gases, dores abdominais e mesmo aumentar o risco de câncer a longo prazo.

Por isso, a quantidade máxima diária deve ficar em torno de 600ml.

– Grávidas

Não se sabe exatamente quais os efeitos do chá de amora no útero. Já é sabido que ele diminui o fluxo menstrual e as cólicas e alguns estudos defendem que ele é um bom tonificante muscular e pode auxiliar na hora do parto.  

Obstetras, porém, concordam que ele pode ter efeito abortivo ou estimular o parto prematuro, e por isso mulheres grávidas, principalmente aquelas no primeiro e segundo trimestre, não devem consumir o chá.

Como fazer o Chá de Amora

O chá de amora pode ser feito só das folhas de amora, ou então incluir troncos, caules, cascas e raízes. Quanto mais componentes da própria amoreira, mais forte o chá e maiores seus efeitos.

– Receita de Chá de amora

– Ferver 200ml de água junto com 4 ou 5 folhas frescas de amora.

– Após ferver, desligar o fogo e manter em repouso por cerca de 10 minutos.

– Remover as folhas e tomar quente ou frio.

De modo geral, o chá pode ser armazenado por até 24h, e seu consumo diário não deve ser maior que 600ml por dia (o que dá cerca de três xícaras).

O melhor é utilizar folhas frescas, mas as folhas secas ou maceradas, em pó, também trarão os benefícios, mas o chá das folhas in natura será mais concentrado. De preferência, não adoçar o chá.

Para incrementar ainda mais o sabor, pode-se misturar outras ervas e especiarias, como limão, gengibre, alecrim, camomila e hortelã, além do famoso mix de frutas vermelhas, com morango e framboesa.

Dia de Saúde - Dicas de saúde, emagrecimento, dietas, exercícios e qualidade de vida-footer