Cavalinha: Benefícios, como fazer o chá, contraindicações

O chá de cavalinha é hoje a forma mais prática e conhecida de se utilizar essa antiga erva, que pode ser ingerido ou utilizado na pele e nos cabelos.

O chá de cavalinha é utilizado com função medicinal, para combater indigestão, diminuir o inchaço e a retenção de líquidos e melhorar o metabolismo e a imunidade.

Entre outras apresentações, é vendida principalmente em forma de folhas secas, mas também é possível achar a cavalinha em formato de óleo, pó ou capsulas. 

Mais que uma erva, a cavalinha é uma planta que nunca para de crescer. Ela não está sujeita as estações do ano e ciclos de crescimento.

Com raízes profundas e sempre surgindo novos tubérculos, é uma planta de fácil manutenção para se ter em casa, e bastante fácil de encontrar no comércio.

O que é Cavalinha

A cavalinha (Equisetum) é uma erva pré-histórica, que cresce ao redor do mundo inteiro em lugares com muita água como lagos, rios e pântanos.

Ela recebe seu nome pela semelhança com o rabo de um cavalo, e já foi utilizada até mesmo com finalidades “mágicas”.

Ligada a Saturno e a fertilidade feminina, era colocada nos quartos e utilizada para favorecer a fecundação de mulheres que queriam engravidar. Seu chá era usado para tratar doenças e servia até mesmo para espantar cobras, a partir de uma flauta fabricada com seus caules.

Para que serve a Cavalinha

As propriedades da cavalinha já são muito conhecidas na indústria farmacêutica, principalmente pelo setor estético, que se utiliza de suas propriedades adstringentes e capacidade de evitar estrias, cicatrizes e fortalecer unhas e cabelos.

A cavalinha contém um alto teor de vitamina E, vitamina D, proteínas, aminoácidos essenciais, potássio, silício, ácido gálico e outros componentes antioxidantes e anti-inflamatórios.

Chá de cavalinha

Benefícios

Diminui a retenção de líquido

Quando o corpo começa a reter muita água, se enche de líquidos e dá a sensação de inchaço, o que causa desconforto e por vezes dor e fadiga. O chá de cavalinha combate o problema por ser um diurético, aumentando o funcionamento dos rins.

Essa propriedade também auxilia na saúde da bexiga, pois a urina fica menos tempo armazenada e é menos tóxica. O chá de cavalinha pode ser usado para combater a infecção urinária, por exemplo, assim como pedras no rim.

Por diminuir o inchaço e limpar toxinas, também pode ser considerado um aliado no combate a pressão alta, agindo como anti-hipertensivo.

Acelera o metabolismo

Um metabolismo ágil fornece mais disposição, energia e também perda de peso mais rápida. Por isso, o chá de cavalinha é utilizado por quem quer emagrecer, normalmente gerando bons resultados.

Com efeito termogênico, a queima de gorduras se torna mais eficiente, e por ter efeito também contra a glicemia, diminui a absorção de carboidratos e pode ser utilizado na prevenção e tratamento do diabetes.

Ação antioxidante e anti-inflamatória

O chá de cavalinha contribui para a prevenção do câncer e diminuição dos efeitos do envelhecimento, graças a ação de seus antioxidantes.

Ao diminuir a inflamação, esse chá vai combater doenças intestinais, hemorroidas, gengivites e doenças inflamatórias como amigdalite.

Diminuir a inflamação sistêmica e a oxidação dos vasos também mantém o coração mais saudável e previne infarto e varizes.

Ação Antimicrobiana

O óleo essencial de cavalinha contém 25 componentes que ajudam a combater fungos e bactérias. O chá tem uma concentração menor desses componentes, mas pode ser utilizado no combate a frieiras e para gargarejo, mantendo a saúde bucal, diminuindo cáries e melhorando o hálito.

Esse benefício se estende ainda para flora intestinal e íntima, melhorando a harmonia do organismo.

Memória e cognição

Um estudo brasileiro demonstrou o potencial do chá de cavalinha para problemas de memórias e aumento da concentração, com uso para o alívio de doenças como a demência e o Alzheimer. O estudo ainda está na fase de laboratório, mas as perspectivas são animadoras, principalmente pelo alto teor de sílica que o chá contém.

Prevenção da osteoporose

Rica em sílica e vitamina D, misturar o chá de cavalinha com cálcio, seja na forma de outra planta ou mesmo um pouco de leite, previne fraturas e fortalece os ossos. Esse benefício já foi demonstrado na Itália e se acredita que seja melhor iniciar o consumo ainda jovem, em mulheres antes da menopausa.

Gripe e resfriados

Não só para o resfriado comum, como também para a asma e a bronquite, a infusão de cavalinha diminui a tosse seca e a dor de cabeça. Além de beber o chá, é interessante respirar o vapor da infusão por alguns minutos, pois isso contribui para diminuir a obstrução nasal e liberar os brônquios de muco.

Beleza

O chá de cavalinha pode ser ingerido ou utilizado para lavar o cabelo e a pele. De ambas as formas se pode obter diversos benefícios estéticos, entre eles:

Diminuição da oleosidade – o chá de cavalinha tem propriedade adstringente, que funciona também de dentro para fora. Melhorando o metabolismo e eliminando toxinas, pele e cabelos se tornam menos oleosos e diminui a incidência de acne.

Quando usado para limpar o rosto, vai liberar a sujeira dos poros de maneira delicada, sem estimular demais a pele, mas minimizando as espinhas.

Elasticidade e flacidez – entre seus diversos componentes, encontramos nutrientes que auxiliam o colágeno, importante para manter a pele firme e íntegra.

O consumo regular do chá permite que a pele se recupere mais fácil de danos externos, e seus antioxidantes combatem radicais livres responsáveis pelo envelhecimento, rugas e manchas.

Cabelos e unhas – a sílica presente na cavalinha torna os cabelos mais brilhantes e a as unhas mais fortes. É normal haver déficit de sílica a alimentação, e esse mineral diminui a queda de cabelo, rejuvenesce os folículos e elimina a caspa

Cicatrizes e estrias – além do estímulo ao colágeno, depois de pronto, pode se utilizar as folhas do chá para colocar em cima de estrias, feridas e cicatrizes. Os nutrientes da planta penetram na pele e auxiliam a regeneração saudável e eficaz. Também pode acalmar a pele que sofre com irritações e alergia.

Saúde feminina

O chá de cavalinha é conhecido por diminuir o fluxo menstrual e utilizado em mulheres que sofrem de hemorragia durante esse período.

Ele também pode ser usado para diminuir o sangue no pós-parto e evitar a perda sanguínea excessiva em acidentes e cirurgias.

Não se tem estudos conclusivos, mas se acredita desde a antiguidade que a cavalinha auxilia a equilibrar os hormônios femininos, regular o ciclo menstrual e pode ser aliado da fertilidade.

Saúde masculina

O uso do chá de cavalinha está relacionado com a diminuição da próstata em quem sofre de hiperplasia, e pode combater a prostatite, que é a inflamação do órgão, levando a dor urinária ou mesmo ausência de urina, que é um problema frequente em homens mais velhos, necessitando por vezes de internação.

Se acredita que ao regular a próstata e seu funcionamento, a cavalinha também possa prevenir o câncer de próstata, que é o câncer mais importante na saúde masculina.

Contraindicações

O chá de cavalinha é conhecido e utilizado pela humanidade há muitos séculos. Por isso, seu uso é considerado bastante seguro.

Entretanto, se consumido todos os dias, é bom que não se passe de 30 meses de uso antes de haver uma pausa. Isso porque seu alto teor de sílica e tiamina podem levar a um efeito de feedback negativo (quando uma substância aumenta tanto sua concentração no sangue que isso gera um estímulo para que pare de ser utilizado).

Grávidas e mulheres amamentando devem ter cuidado. Se sabe que a cavalinha é muito utilizada para diminuir hemorragias, mas não se tem claro qual o efeito que isso pode ter no útero que está gerando uma criança.

Quaisquer chás que interfiram com a menstruação normal devem ser utilizados com cautela na gravidez.

Pessoas com doenças crônicas como diabetes e hipertensão devem tomar o chá de cavalinha apenas depois de consultar o médico. Isso porque o chá diminui a glicose e também é diurético, podendo levar a uma deficiência de potássio (mineral envolvido na manutenção dos batimentos cardíacos) e glicose, podendo ser fatal se não tratada a tempo.

Para alcoólatras, que são um grupo de pessoas geralmente desnutridas, o chá de cavalinha pode levar a uma perda de nutrientes muito grande. Assim, é importante evitar seu uso, mesmo diante dos benefícios apresentados.

Pessoas com outras desnutrições e deficiências, mesmo que não façam uso de álcool nem tenham doenças crônicas, também não devem usar a cavalinha de forma oral. O chá pode ser usado sobre a pele, por exemplo, mas quando ingerido leva a perda de vitamina B1 e B2.

Como consumir

A forma mais comum de se encontrar a cavalinha é através da planta seca. Quem tem disponibilidade, pode tentar utilizar a planta in natura, mas a maioria dos estudos que afirmam os benefícios citados acima foram feitos com o pó ou a planta seca e desidratada.

Chá de cavalinha

. Utiliza-se duas colheres de sopa de cavalinha para cada 500ml de água.

. A água deve ser fervida separada da cavalinha. Depois que a água tiver fervido, se derrama ela sobre as folhas da cavalinha, e deixa a mistura descansar por pelo menos cinco minutos.

. O chá pode ser coado e consumido quente ou frio. Pode-se consumir durante todo o dia, independente de ser junto ou não das refeições. Não é recomendado tomar mais do que duas ou três xícaras diárias.

. Preferencialmente, não utilizar o chá de forma contínua por mais de dois meses. O ideal é utilizar o chá por um mês e parar seu consumo por uma semana, para só então retornar.

Uma forma que vem ganhando espaço na preferência popular é a mistura da cavalinha com o hibisco, principalmente visando o emagrecimento.

O hibisco é um excelente aliado, pois melhora o gosto da cavalinha (que de forma geral já é agradável) e potencializa seus benefícios. Para fazer o chá de hibisco com cavalinha, basta acrescentar cinco colheres de hibisco à infusão de cavalinha e abafar por 10 minutos.

diabetes controlada